Rotary Club de Abrantes promove
rastreios visuais e auditivos

“Notícias” prossegue a divulgação de projetos enquadrados no âmbito do novo regulamento de candidatura a projetos de apoio da Fundação Rotária Portuguesa. Falámos com Júlio Ferreira Miguel, responsável pela área dos serviços profissionais do Rotary Club de Abrantes e responsável por acompanhar a realização do projeto “Rastreio Visual e Auditivo a Estudantes” que está a ser implementado pelo Clube de Abrantes. O projeto, que se integra na ênfase da “Alfabetização/Educação” tem por objetivo a realização de rastreio visual e auditivo a todos os alunos do 1.º ano de escolaridade das escolas dos concelhos de Abrantes, Mação e Sardoal.

Notícias (N.) – O Rotary Club de Abrantes desde a entrada em vigor do novo Regulamento de Candidatura a Projetos de Apoio à Fundação Rotária Portuguesa candidatou 11 projetos. Que balanço faz?
Júlio Ferreira Miguel (J.F.M.) – O novo regulamento de candidatura a projetos de apoio à FRP foi, como se recordará, aprovado em Assembleia Geral de Representantes realizada no dia 10 de Abril de 2010, mais precisamente na cidade de Abrantes. O balanço que fazemos é, francamente, positivo uma vez que o trabalho realizado pelo clube, ao longo destes anos, tem sido, devidamente, apoiado pela FRP sempre que para isso tem sido pedida a sua parceria.
N. – Recentemente desenvolveram e concluíram o projeto “Rastreio Visual e Auditivo a Estudantes”. Em que consistiu este projeto?
J.F.M. – O último projeto que o Rotary Club de Abrantes candidatou foi o projeto “Rastreio Visual e Auditivo a Estudantes”. Este projeto consistiu na realização do Rastreio Visual e Auditivo a todos os alunos do 1º ano de escolaridade em todas as escolas dos concelhos de Abrantes, Mação e Sardoal. Este projeto tem uma grande notoriedade e abrangência em toda a comunidade escolar envolvida. No presente ano foram rastreados 334 alunos, tanto na visão como na audição.
N. – O projeto desenvolveu-se durante quanto tempo. Quantas pessoas, instituições envolveu?
J.F.M. – O projeto teve a duração de 5 dias e desenvolveu-se entre os dias 22 e 26 de Fevereiro último. O clube conta, atualmente, com 25 companheiros e, na sua maioria, todos dão o seu contributo de forma direta ou indireta. Para além dos companheiros do clube, a ação, envolve várias instituições, nomeadamente a APPV – Associação Portuguesa de Prevenção Visual, a Clínica do Ouvido (Centro Auditivo Widex), os agrupamentos escolares, as escolas e os 3 municípios envolvidos (Abrantes, Mação e Sardoal).
N. – Trata-se de um projeto com carácter de continuidade. Há quanto tempo desenvolvem este tipo de ação?
J.F.M. – Este projeto tem caráter de continuidade e, todos os anos, faz parte do programa de ação do clube. O projeto iniciou-se no ano rotário 2002/2003, inicialmente só com o rastreio à visão. Posteriormente, a partir do ano rotário 2010/2011, aproveitando as sinergias criadas com o rastreio à visão, iniciámos, também e em simultâneo, o rastreio à audição.
N. – Para onde são encaminhados os casos mais problemáticos detetados no decorrer deste programa de rastreio?
J.F.M. – O objetivo principal destes rastreios, e uma vez que é realizado no 1.º ano de escolaridade, é despistar as situações anómalas não identificadas pelos pais e professores e permitir assim uma melhor aprendizagem escolar para todos. Os professores são de imediato informados dos resultados dos seus alunos para seu conhecimento e para informarem os pais e/ou encarregados de educação para que estes possam tomar as medidas corretivas necessárias. Quando existem dificuldades económicas e financeiras nos agregados familiares, devidamente validadas pelos professores, o clube ajuda na resolução dos problemas tanto com consultas gratuitas como na aquisição de material (óculos ou aparelhos) junto de pessoas e/ou entidades que colaboram ativamente com o clube.
N. – Quais os parceiros do clube nesta iniciativa?
J.F.M. – Nesta iniciativa que envolve toda a comunidade escolar dos 3 concelhos abrangidos contamos com o apoio de vários parceiros. Na parte técnica o apoio da APPV – Associação Portuguesa de Prevenção Visual no que se refere ao rastreio visual e da Clínica do Ouvido (Centro Auditivo Widex) no que se refere ao rastreio auditivo. Na parte financeira com o apoio das Agências da Caixa Geral de Depósitos dos 3 concelhos envolvidos (Abrantes, Mação e Sardoal). Contamos também com o apoio da empresa Marques & Paulos, Lda. (Óptica Alípios) na aquisição de óculos, da empresa Sarclínica, Lda. na realização de consultas da visão e audição e da empresa AMS – Publicidade, Lda. na elaboração dos impressos e boletins dos rastreios. Para além dos apoios referidos contamos também com o apoio institucional dos municípios de Abrantes, Mação e Sardoal, dos agrupamentos escolares de Abrantes (Dr. Solano de Abreu e Dr. Manuel Fernandes), de Sardoal e de Mação (Verde Horizonte), para além das escolas envolvidas e respetivos professores e da restante comunidade escolar (alunos e pais/encarregados de educação).
N. – Projectos para o futuro?
J.F.M. – O Rotary Club de Abrantes desenvolve uma grande atividade nas comunidades onde se insere, com vários projetos que têm carácter de continuidade e que se vêm realizando anualmente. Merecem especial destaque, pela importância que representam, para além do já referido Projeto Rastreio Visual e Auditivo, o Projeto Bolsas de Estudo o qual apoia anualmente cerca de 50 bolsas de estudo do ensino secundário e universitário, com o contributo do Município de Abrantes e de empresas que apadrinham este projeto, o Projeto Bolsas de Estudo a alunos de Cabo Verde em parceria com o Município de Abrantes, o Município da Ribeira Brava em Cabo Verde e a ESTA – Escola Superior de Tecnologia de Abrantes e o Projeto Curso de Liderança que vai já na sua 6.ª edição e que é realizado no Quartel de Abrantes, em regime de internamento, em parceria com o Exército, numa primeira fase com a EPC – Escola Prática de Cavalaria e após a sua saída de Abrantes com o NP/RAME – Núcleo Preparatório/Regimento de Apoio Militar de Emergência.

 

Rotary Club de Abrantes: aposta na formação juvenil
A par de todo o envolvimento nos projectos o Rotary Club de Abrantes atrai para as suas iniciativas os jovens. E deste modo, segundo Júlio Ferreira Miguel, o clube apoiou «há 2 anos atrás a criação do Interact Club de Abrantes que está em plena atividade e, recentemente, ficou mais rico com a criação do Rotaract Club de Abrantes que recebeu o seu Certificado de Organização no passado dia 27 de Fevereiro último».