Rotary Club de Porto de Mós continua
a ajudar estudantes carenciados

“Estamos muito gratos à Fundação Rotária Portuguesa
por todo o apoio que nos tem proporcionado”

Damos conta de mais um projecto enquadrado no novo regulamento de candidatura a projectos de apoio da Fundação Rotária Portuguesa (FRP). Conversámos com Olga Cristina Fino Silvestre do RC Porto de Mós, responsável por acompanhar o projecto “Pagamento de Propinas a 2 estudantes”, que termina este mês de Julho. O projecto enquadrou-se na ênfase “Alfabetização/Educação”.

Notícias (N.) – Como têm decorrido os projectos que o RC Porto de Mós tem candidatado? Qual o balanço que faz?
Olga Silvestre (O.S.)Os projectos têm decorrido bem e sido cumpridos pontualmente por ambas as partes. O balanço é extremamente positivo e a colaboração da Fundação Rotária Portuguesa é preciosa para a sustentabilidade dos projectos do nosso clube.
N. – O actual projecto, que termina este mês, segue a linha do anterior. O de apoiar dois alunos carenciados que frequentam as faculdades de Medicina de Lisboa e de Coimbra. Como tem decorrido? O objectivo foi alcançado?
O.S.O projecto tem decorrido de forma exemplar e o mais uma vez o objectivo foi alcançado e podemos assim colaborar com os nossos dois bolseiros de modo a atenuar-lhes as dificuldades financeiras por que passam.
N. – O clube continua a ter apenas como principal parceiro a Fundação Rotária Portuguesa? É uma opção?
O.S. – Até à presente data, o nosso principal parceiro é a Fundação Rotária Portuguesa, tem sido uma opção forçada que, no futuro poderá ser alterada se a economia assim o permitir, mas face à actual conjuntura económica não nos foi possível conseguir angariar outro parceiro.
N. – Como tem sido o desempenho destes jovens. Muito positivo?
O.S. – Os jovens ao nível da sua frequência escolar são excelentes alunos, pois apresentam médias que podemos classificar de Bom ou Muito Bom. Ao nível do nosso relacionamento com eles é de perfeita interação, demonstram reconhecimento pelo nosso apoio e no futuro quando forem profissionais da saúde pretendem retribuir, com serviço à comunidade, o apoio que agora recebem. Diremos que o balanço é exponencialmente positivo.
N. – O clube pensa candidatar novos projectos. Ou vai apenas dar continuidade a este de forma a que os jovens possam concluir os respectivos estudos e progredir no mercado de trabalho?
O.S. – O clube tem em curso estes dois projetos que, serão, digamos projectos de continuidade e uma forte aposta do clube até que os nossos dois jovens ingressem no mercado de trabalho e desde que os mesmos reúnam as condições necessárias para tal, mas candidatou-se e foram aprovados outros projectos, na área da pobreza e tem em mente em Setembro candidatar-se a pelo menos três novos projectos, sendo dois na área da educação e um na área da pobreza.
Em jeito de conclusão estamos muito gratos à Fundação Rotária Portuguesa por todo o apoio que nos tem proporcionado para assim podermos servir a nossa comunidade e contribuirmos para o Rotary Brilhar.