Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão
equipou sala da CPCJ

Clube de jovens com experiência na realização de projetos de apoio da Fundação Rotária Portuguesa (FRP) o Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão concluiu, recentemente, o apetrechamento de uma sala na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Vila Nova de Famalicão. Neste sentido, “Notícias” da FRP falou com Cristiana Silva, presidente do Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão, no presente ano rotário, que nos conta como os jovens contribuíram para o bem-estar das crianças que têm de permanecer naquela instituição.

Notícias (N.) – O Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão desde a entrada em vigor do novo Regulamento de Candidatura a Projetos de Apoio à Fundação Rotária Portuguesa (FRP) candidatou 8 projetos, 6 dos quais foram aprovados e posteriormente concretizados. Que balanço faz da catividade do clube nesta área?
Cristiana Silva (C.S.) – O balanço é imensamente positivo. O apoio da FRP tem sido fundamental, é a base de muitos dos nossos projetos. Efetivamente este é o 8 projeto que candidatamos em nome do Rotaract Club V.N. Famalicão, mas já temos vindo a efetuar candidaturas anteriores apresentadas pelo nosso clube patrocinador, o Rotary Club Vila Nova de Famalicão. Esses projetos foram todos concluídos com sucesso, nomeadamente os que não foram inicialmente aprovados. Um deles que se referia à doação de alimentos a famílias carenciadas não o foi na primeira fase, tendo sido posteriormente aprovado  na segunda. O outro projeto correspondente a uma doação de bolsa de estudo, apesar de ter todas as condições para ser aprovado, tendo em conta que no mês de Setembro 2015 efetuamos duas candidaturas, tivemos de escolher uma. Contudo, o projeto foi igualmente concluído com sucesso. Frisamos a importância do apoio da FRP que além do valor monetário nos incentiva acreditar nos nossos sonhos.
N. – Recentemente concluíram o projeto “Equipar sala pedagógica e de brinquedos – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Vila Nova de Famalicão”. Como decorreu este projeto?
C.S. – O projeto decorreu em consonância com as nossas melhores expetativas uma vez que foi concluído em menos de 4 meses. O projeto requeria da nossa parte muita atenção na escolha dos equipamentos por se tratar de crianças com idades e necessidades específicas. O primeiro passo foi elaborar em conjunto com as técnicas da CPCJ uma lista dos bens necessários assim como os mais aconselhados. O nosso principal objetivo foi proporcionar um local onde as crianças gostassem de estar e estivessem motivadas. Foram meses de trabalho e é com um enorme orgulho que finalizamos este projeto e inauguramos a sala onde muitas crianças sorriram!
N. – Para concretizar o projeto fizeram algumas parcerias? Se sim, quem são os parceiros?
C.S. – A única parceria efetiva foi com a FRP. O objetivo só se tornou possível de concretizar porque desenvolvemos atividades de angariação de fundos. Assim, organizamos um jantar em prol da CPCJ, no qual superamos as expetativas, além das 70 pessoas que estiveram presentes nesse encontro muitos foram os que se juntaram a nós e contribuíram para a causa. Canalizamos as nossas vendas natalícias, frascos decorados e bolachas, para este projeto e mais uma vez a recetividade foi fantástica. Foi desta forma que conseguimos angariar os fundos necessários para equipar a sala. Agradecemos a todos os companheiros e amigos que se juntaram a nós e à nossa causa. Tal como Paul Harris dizia: “A maior das conquistas é o resultado do esforço mútuo do coração, da mente e das mãos, trabalhando em perfeita harmonia”.
N. – A sala em causa está vocacionada para receber crianças e jovens que tenham de ter apoio da instituição. O que é que podem ali encontrar. Que tipo de atividades podem fazer?
C.S. – A sala está devidamente equipada com tudo o que é necessário para brincarem e também apreenderem. Podíamos apenas equipar com o básico para proporcionar conforto, mas achamos que devíamos ir mais longe e decidimos equipar a sala por completo, desde as mesas, televisão, livros, brinquedos, dvd´s, jogos didáticos, consola e respetivos jogos, quadros, tapetes, entre outros. Ao preparar uma sala lúdico-pedagógica proporcionamos um espaço mais informal, de brincadeira e aprendizagem, e, em simultâneo, de grande ajuda para os técnicos, que poderão avaliar mais facilmente a condição atual das crianças.
N. – Como surgiu esta ideia? Como acolheu a CPCJ de Vila Nova de Famalicão esta vossa pretensão?
C.S. – Em Agosto de 2015, visitamos a CPCJ com o objetivo de doar chocolates às crianças acompanhadas nesta instituição. Na altura estávamos com um projeto de venda de chocolates para apoiar um aluno de excelência do nosso concelho. Alguns companheiros decidiram cooperar abdicando do chocolate e assim achamos por bem alegrar estes meninos. Nessa visita Elsa Rocha, presidente da CPCJ, gentilmente apresentou-nos as novas instalações, que são uma mais-valia para a comissão.Na visita, estivemos na sala onde permanecem as crianças, quer no decorrer do seu atendimento, quer enquanto os pais estão a ser entrevistados. Esta sala é airosa, mas não tinha equipamentos nem brinquedos à disposição das crianças, ou seja, não cativava a criança. Quando terminamos a visita, a decisão foi unanime: este seria o nosso próximo projeto.
A equipa da CPCJ acolheu esta ideia da melhor maneira, uma vez que além de alegrar as crianças é igualmente uma mais-valia para as técnicas. Temos acompanhado o trabalho desenvolvido por esta comissão e o trabalho destas técnicas é de enaltecer, dai ser uma enorme satisfação contribuir para a melhoria do bem-estar das crianças ali acompanhadas.
N. – O Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão tem-se mostrado sempre muito ativo. Com o aproximar da 1.ª fase de 2016 (Fevereiro) para candidatura de projetos de apoio da FRP, o clube pensa candidatar algum projeto?
C.S. – Sim é nossa intenção voltar a candidatar um projeto. Estamos atentos à comunidade em que estamos inseridos e às lacunas existentes. Sabemos que a nossa ajuda pode ser uma gota na imensidão das necessidades, mas acreditamos que podemos fazer a diferença! A FRP mostra-nos que não estamos sozinhos na angariação de fundos… São sem dúvida um grande apoio em todas as nossas grandes doações. E como em Rotary não se agradece retribui-se, faremos jus ao lema deste ano e seremos um presente para o mundo!

O que elas dizem…

Teresa Mayer
Presidente do Conselho de Administração da Fundação Rotária Portuguesa

Os clubes de jovens são
o futuro do movimento

Teresa Mayer a propósito desta iniciativa do Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão sublinhou que é importante que os «grupos de Rotaract apresentem mais projetos e colaborem com mais assiduidade. Acredito no empenho dos jovens e nas suas capacidades».
A presidente do Conselho de Administração da Fundação Rotária Portuguesa acrescentou ainda que a «FRP quer que os jovens colaborem com projetos, com novas ideias e está disposta a colaborar com eles mais ativamente. Os jovens constituem o futuro do movimento. Devemos apoiá-los e encorajá-los na caminhada solidária de “dar de si antes de pensar em si”».

 

Rosana Diaz
Representante Distrital de Rotaract D1970 AR2015/2016

A Fundação Rotária Portuguesa
e os clubes de Rotaract

A Fundação Rotária Portuguesa (FRP) desempenha um papel fundamental no apoio aos clubes rotários portugueses na execução das ações de serviço à comunidade. Anualmente são dezenas de projetos que se enquadram nas Ênfases presidenciais os quais são apoiados com fundos até 40% conforme Edital definido pelos Governadores dos dois Distritos. Os clubes mais jovens também devem participar junto com a FRP no desenvolvimento de projetos e é isso que efetivamente fazemos todos os anos e cada vez mais! Desde 2011 até à presente data a FRP já atribuiu 7 519,37€ de fundos a projetos do nosso País. Falamos de projetos realizados pelos clubes mas também pelas Representadorias Distritais. Sublinho que neste valor não se incluem os projetos efetuados em parceria com clubes Rotários, os quais também decorrem com frequência, para alegria e benefício do nosso movimento.
Esta parceria com a FRP deve ser permanentemente renovada em todos os anos rotários, com participação nos dois períodos de candidaturas a projetos que acontecem anualmente. Lembro a todos os nossos Rotaractistas que durante o mês de Fevereiro encontra-se aberto o período para candidaturas e apelo à participação dos clubes. Em parceria poderemos servir melhor as nossas comunidades e alcançar voos mais altos. Lembrem-se, que juntos seremos a mudança que queremos ver no Rotaract e nas nossas comunidades. Encontro-me completamente ao vosso dispor para vos ajudar a realizar todos os vossos sonhos.
A Fundação Rotária Portuguesa também, por isso o nosso Muito Obrigada!