Assembleia de Representantes da FRP
aprovou por maioria o plano de actividades
e orçamento para 2016

A Assembleia de Representantes da Fundação Rotária Portuguesa (FRP) realizada, no passado fim-de-semana, no Hotel Dona Inês, em Coimbra, aprovou por maioria (1 abstenção) o Plano de Actividades e Orçamento para 2016.
A reunião rotária foi muito participada e realizou-se sob a presidência de Miguel Real Mendes, governador do distrito rotário1960, que esteve acompanhado, na mesa, por José Ribeiro Ferreira, que secretariou os trabalhos, Manuel Cardosa presidente do Conselho Superior/Curadores; António Vaz, governador do distrito rotário 1970; Teresa Mayer, presidente do Conselho de Administração da FRP, Condé Pinto, em representação da Comissão Revisora de Contas e António Amorim Costa, em representação do Rotary Club de Coimbra.
No encontro foram apresentados, discutidos e aprovados, o Plano de Actividades e o Orçamento para 2016, expostos pelo Conselho de Administração (CA) da Fundação, documentos apresentados por Armindo Carolino, vice-presidente do CA da instituição.
Do relatório do CA da FRP apresentado aos clubes rotários destaca-se o propósito do conselho «de racionalizar e optimizar todos os recursos técnicos, humanos e financeiros de que dispõe».
O CA da FRP defende ainda que continuará a apoiar as iniciativas do movimento rotário português, nomeadamente, os «apoios aos Projectos dos Clubes Rotários na área educativa, social, humanitária ou ambiental, em sintonia com os Governadores de Distrito».
A promoção da imagem pública da FRP e do Rotary Internacional em Portugal «sob orientação e em sintonia com os Governadores dos dois Distritos Rotários portugueses, constituem no actual contexto da sociedade portuguesa, um dos objectivos fundamentais do Rotary em Portugal», refere o documento.
No plano de actividades continua o propósito do apoio às actividades culturais, nomeadamente a realização do IX Concurso Nacional de Canto Lírico, evento para o qual conta com a colaboração dos clubes rotários de Lisboa-Estrela, Porto-Foz, Cascais-Estoril, Ponta Delgada e Angra do Heroísmo. «A par das Bolsas de aperfeiçoamento que proporcionam aos jovens vencedores estes concursos traduzem-se não só numa significativa promoção pública da imagem da FRP e de Rotary em Portugal no campo cultural e artístico, mas também em proveitos monetários para a FRP».
Paralelamente a este evento realizar-se-á também, em 2016, em Abril, como é tradição, a entrega da Bolsa Fundadores Melhores Bolseiros a 10 alunos com mérito escolar ou cívico, selecionados pelos clubes rotários sorteados para esse efeito. Cerimónia que visa «evocar e homenagear os dez fundadores da FRP».
A atribuição das bolsas de estudo suportadas exclusivamente pela FRP (bolsas próprias), e anteriormente atribuídas manter-se-ão até os respectivos estudantes terminarem os seus cursos, desde que mantenham o mérito escolar, e as condições da sua atribuição.

Parecer do Conselho Superior/Curadores recomendou aprovação pela Assembleia

Manuel Cardona, presidente do Conselho Superior/Curadores da Fundação Rotária Portuguesa (FRP) antes da colocação à votação dos documentos – Plano de Actividades e Orçamento para 2016 – leu o parecer do conselho a que preside que na génese convidava os representantes a votarem a aprovação dos documentos.
Manuel Cardona referiu que o conselho reunido no dia 10 de Outubro analisou, em pormenor, os textos apresentados pelo CA e «decidiu dar parecer favorável a ambos os documentos e recomendar a sua aprovação pela Assembleia de Representantes».